Sustentabilidade

Missão

Aprimoramento de nossos processos, visando lucratividade com sustentabilidade.

Visão

Ser referência de excelência e qualidade no mercado de coleta e rerrefino de óleos lubrificantes.

Valores

Ética – atuar de forma responsável e transparente.
Comprometimento – disposição para aprender, proatividade e paixão pela excelência.
Segurança – responsabilidade ocupacional.

Atividade Social

Cumprindo o nosso papel de empresa amiga do meio ambiente, mantém um contínuo aprimoramento técnico que garante o cumprimento das normas vigentes no País.

Dentro desse conceito ambiental, participamos de atividades educacionais, em parceria com os setores público e privado, desenvolvendo a cultura, comportamento e conscientização ambiental.

Meio Ambiente

Sob o ponto de vista ecológico, o Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado (OLUC) é um resíduo perigoso, tóxico e altamente poluidor.

Para efeito de legislação, não apenas o óleo de motor, mas todo óleo lubrificante utilizado em máquinas industriais, também se enquadram na categoria de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado (OLUC), devendo ser descartado de acordo com as normas legais.

O impacto do óleo lubrificante no meio ambiente é altamente devastador, já que um litro de óleo é capaz de contaminar um milhão de litros de água e que, uma vez despejado em linhas d’água (rios, lagos, oceanos e lençóis freáticos), forma uma fina camada superficial que bloqueia a passagem de ar e luz, impedindo a oxigenação e a fotossíntese.

Segundo pesquisas, estima-se que 10% da contaminação dos oceanos provêm de óleos lubrificantes, e que a queima de dez litros desse óleo libera, na atmosfera, o equivalente a 20g de metais pesados, potencialmente cancerígenos, como chumbo, cádmio, cromo, mercúrio, níquel, entre outros.

Com a resolução 362 do CONAMA*, o Rerrefino passou a ser definitivamente o destino correto para o OLUC.

*O Art. 1 da resolução 362 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), que substituiu a portaria 09/93 do mesmo órgão diz: “Todo óleo lubrificante usado ou contaminado deverá ser recolhido, coletado e ter destinação final, de modo que não afete negativamente o meio ambiente e propicie a máxima recuperação dos constituintes nele contidos, na forma prevista nesta Resolução”.

Crime Ambiental

De acordo com a lei de Crimes Ambientais nº 9.605/98, o crime ambiental é um ato ilícito que gera responsabilidade penal e também a civil.

Através da responsabilidade civil objetiva, a legislação ambiental nacional não exige culpa para fixação da responsabilidade, bastando que haja um nexo de causalidade entre o ato e o resultado danoso. Assim sendo, qualquer empresa que descartar óleo usado ou contaminado no meio ambiente, mesmo que sendo sem culpa, será responsável pela reparação do dano, sujeita à sanção administrativa, mediante pagamento de multa, podendo ainda, através do Ministério Publico, responder judicialmente pela infração.

Coleta

A coleta do óleo usado ou contaminado é de responsabilidade do produtor/importador, que é obrigado a ter um contrato com um coletor autorizado pela ANP para essa atividade.

Mesmo estando na vanguarda da América Latina quanto à legislação sobre a coleta e o destino dos óleos lubrificantes usados, o nosso País precisa caminhar ainda mais, pois estimativas mostram que, países de 1º mundo chegam a 55% do volume comercializado.

A qualidade do óleo rerrefinado

As especificações técnicas para o óleo básico de primeiro refino, nacional ou importado, estão fixadas no Regulamento Técnico 004/99, anexo à Portaria ANP nº 129/99.

Já o Regulamento Técnico 005/99, anexo à Portaria ANP nº 130/99, fixa as características para as diversas espécies de óleo básico rerrefinado produzido no País.

Resíduos

Por meio de continuados estudos e de modernas tecnologias, as empresas transformaram os resíduos gerados pela atividade em matéria-prima para produção de asfalto, na forma de impermeabilizantes, revestimentos plásticos, e para co-processamento em fornos de cimento.


Projetos Sociais